A última bolacha do pacote

A última bolacha do pacote
Publicado por Wagner "Aleluia" Bastos no dia 01/02/2015 em Cotidiano

Existem pessoas no ambiente de trabalho que acreditam serem insubstituíveis. Pensam que, se pedirem demissão, a empresa fechará suas portas por causa de sua saída. Acham que tudo gira em torno delas, pensam ser “a última bolacha do pacote”.

Normalmente acreditam saber tudo sobre todos os processos da empresa e imaginam que sem elas a empresa simplesmente pararia. Espalham-se por todos os lugares, transbordando orgulho e achando-se sempre melhores que os demais. Você deve conhecer alguém assim.

Em geral esse tipo de pessoa só tira vinte dias de férias, creem que são tão importantes, mas tão importantes que jamais poderiam estar longe da empresa por trinta dias.

Mas, será que são realmente insubstituíveis? Ou, quem sabe, são pessoas temerosas de que outros possam realizar suas tarefas e, quem sabe, até melhor do que elas?

Um bom líder deve preparar sua equipe para a sua ausência. Não tem que temer delegar poder e ensinar seus colegas. Deve ser um guia para eles e fazê-los crescer profissionalmente.

Tem que estar preparado para novos desafios e oportunidades, inclusive oportunidades fora da empresa na qual trabalha.

Pode ser o presidente de uma multinacional ou o gerente da padaria de seu bairro mas tenha certeza de uma coisa: Ninguém é insubstituível.

Se você, por qualquer motivo, sair da empresa, tenha certeza de uma coisa: Ela não fechará suas portas pela sua ausência. A empresa tem vida própria, ela funciona independente de você. Lembre-se que ela existia antes de você lá chegar. E, se você é o fundador da empresa, lembre-se, por exemplo, da Apple que perdeu seu grande líder e ícone e continua muito bem, obrigado.

Já que ninguém é insubstituível, que tal fazer a diferença na vida de alguém?

Quando passamos adiante nosso conhecimento, quando ensinamos o “caminho das pedras” á alguém, tenha certeza que faremos diferença na vida dessa pessoa.

Como é bom espalhar o conhecimento, como é bom ver um colega crescer profissionalmente através de nossos ensinamentos.

Talvez alguém possa pensar: Tive que estudar tanto, perdi horas de sono, deixei a família em segundo plano para poder aprender o que sei e, agora, vou ensinar o “caminho das pedras” assim tão facilmente? Imagine que nem todos tiveram a chance de adquirir conhecimento como você teve, imagine que será sempre lembrado por alguém que recebeu seus ensinamentos, imagine que está fazendo alguém melhor. Será que essa satisfação de fazer o bem não tem nenhum valor?

Não se esqueça que a vida é como uma roda gigante, se hoje estamos em cima, amanhã poderemos estar em baixo e, quem sabe, aquele nosso aluno, amanhã, poderá estar em cima.

Aproveito para prestar uma singela homenagem ao amigo Mauro Geraldo, mais conhecido como “Maurão”, que me ensinou os primeiros passos no Departamento de Recursos Humanos, homem de grande coração, pronto para ensinar e ajudar a todos. Com ele aprendi a repartir o conhecimento adquirido ao longo de minha vida profissional, um grande líder e amigo.

Seja também um “Maurão”, faça a diferença na vida de alguém. E não se esqueça: Você não é “a última bolacha do pacote”.


Foto: (CC BY-NC-ND 2.0)

Deixe seu comentário:

Wagner

Wagner "Aleluia" Bastos

Formado em administração de empresas, trabalhou por mais de dez anos na área de recursos humanos e, há treze anos, é funcionário público estadual.

Veja mais publicações de Wagner "Aleluia" Bastos

+ Cotidiano

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,