Dia do Nordestino: Rebole essa catrevagem no mato

Dia do Nordestino: Rebole essa catrevagem no mato
Publicado por Wagner "Aleluia" Bastos no dia 08/10/2014 em Cultura

Se você entendeu o título desta matéria receba os meus parabéns, provavelmente você é nordestino. Hoje, 08 de outubro, comemoramos o Dia do Nordestino.

Se você não entendeu nada aproveite para aprender um pouco sobre o nordestino e o Nordeste.

Quero, nestas poucas palavras, homenagear esse povo maravilhoso, braço forte de nosso querido Brasil.

Nordeste, berço do Descobrimento. Terra onde, em 22 de abril de 1500, na costa da Bahia, Cabral aportou suas caravelas e declarou a descoberta do Brasil.

Terra de ilustres pensadores, escritores, esportistas, compositores, políticos, humoristas e pessoas que enalteceram e enaltecem nosso País. Nomes tais como Rui Barbosa, Rachel de Queiroz, Tony Kanaan, Gal Costa, Padre Cícero, Chacrinha, Luiz Gonzaga, Popó, Chico Anísio, a miss Brasil 2014 Melissa Gurgel e muitíssimo outros que o espaço não permite citar.

Lugar de paisagens paradisíacas, praias maravilhosas, cidades modernas, históricas, também cidades pequenas e castigadas pelo flagelo da seca. Sertão que criou homens e mulheres que sabem o que é sofrer, mas desconhecem o que é esmorecer. Contrastes gigantescos.

O Nordeste e seu povo formam uma região única em nosso País, terra de pessoas fortes, que enfrentam os problemas com uma energia fora do comum e, apesar de tudo, sorriem, festejam, dançam, cantam, divertem-se e dão exemplo de fibra e garra.

Rico em sua cultura e em suas tradições o nordestino tem o dom de bem receber as pessoas que visitam sua terra. Se você já esteve no Nordeste sabe do que estou falando e, se nunca esteve lá, faço o convite: Visite o Nordeste. Só mesmo estando lá para sentir essa receptividade única, esse jeito de cativar as pessoas e deixá-las com vontade de retornarem. Não quero fazer injustiça á nenhuma cidade do querido Nordeste, mas, das cidades em que lá estive, Natal e as cidades ao redor, formam o que chamo de “paraíso na Terra”. Nem vou tentar descrever tão grande beleza, é impossível.

Da tapioca ao acarajé, do baião-de-dois a buchada de bode, passando pelos sucos típicos, a culinária nordestina é ímpar. Além de que os pratos são sempre fartos e muito bem preparados.

Apesar de tudo isso muitos nordestinos optaram por migrarem para outras regiões do nosso Brasil e, para onde foram, principalmente São Paulo, mostraram sua garra e sua vocação para o trabalho. Criaram raízes, formaram famílias, mas jamais esqueceram de suas origens e delas de orgulham e, diga-se de passagem, têm muito do que se orgulharem.

Além disso o nordestino possui um vocabulário típico, capaz de confundir qualquer brasileiro de outras regiões, haja vista o título desta matéria. São donos de um sotaque encantador, uma fala tranquila e cantada que cativa o ouvinte. Lembram-se Thereza Collor e de Pitty falando?

Sou apaixonado pelo Nordeste, admirador do povo nordestino, e quero, para encerrar, deixar um abraço para todos os nordestinos, quer sejam eles de nascimento ou de adoção.
A propósito, jogue fora essas coisas inúteis. Pode haver variação entre os Estados do Nordeste, mas é aproximadamente isso que quer dizer “Rebole essa catrevagem no mato”.


Foto: Pedro Victor Trindade (CC BY-NC-ND 2.0)

Deixe seu comentário:

Wagner

Wagner "Aleluia" Bastos

Formado em administração de empresas, trabalhou por mais de dez anos na área de recursos humanos e, há treze anos, é funcionário público estadual.

Veja mais publicações de Wagner "Aleluia" Bastos

+ Brasil

Tags:, , , , , , , , , , , , ,