VIRAL
2 anos atrás

Internautas fazem homenagens na web um ano após morte da Sofia

Internautas fazem homenagens na web um ano após morte da Sofia
Criança transplantou cinco órgãos nos EUA e nunca voltou para casa.
Sofia nasceu com síndrome de Berdon, considerada rara pelos médicos.

sofia
FACEBOOK
A morte da menina Sofia Gonçalves de Lacerda, de um ano e oito meses, que nasceu com uma doença rara chamada síndrome de Berdon, que causa problemas no intestino, no estômago e na bexiga, completou um ano na quarta-feira (14). A data provocou comoção nas redes sociais: internautas prestaram homenagens nas redes sociais e reviveram a história do bebê. A menina morreu em Miami, nos Estados Unidos, após uma parada cardíaca.
A menina precisou ir ao EUA para fazer uma cirurgia complexa, em que transplantou cincou órgãos – estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado e intestino grosso. Apesar da cirurgia ter sido bem sucedida, Sofia acabou morrendo por uma infecção no pós-operatório. Desde que nasceu, no hospital da Universidade de Campinas (Unicamp), ela nunca esteve na casa dos pais, que são de Votorantim (SP). Desde a morte da menina, os pais estão nos Estados Unidos.
14 de setembro de 2015
A criança, que passou pelo transplante de cinco órgãos, ficou internada no Jackson Memorial Hospital por causa de um vírus contraído após o transplante multivisceral realizado em maio.
Na época, o quadro da menina tinha piorado bastante e a mãe postou em uma rede social que apenas um milagre salvaria a vida de Sofia. Patrícia de Lacerda havia pedido no dia 13 de setembro de 2015 para seus seguidores “intensificarem as orações” pela melhora da criança.
Os médicos explicaram, na ocasião, que o quadro da criança tinha se agravado por causa de uma infecção no pulmão, pois os órgãos transplantados – estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado e intestino grosso – continuavam em bom estado.
Internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital, Sofia, portadora de uma doença rara, foi acometida por um vírus resistente, o citomegalovirus, quando se recuperava de um transplante multivisceral em que quase todo o aparelho digestivo foi trocado. Por um pedido da família, o corpo do bebê foi cremado nos Estados Unidos.
Entre os milhares de comentários, alguns internautas chamavam a menina de “anjo”. “Meus sentimentos, o Brasil inteiro hoje está em luto, que o Senhor Deus possa confortar vocês. O céu hoje recebe mais um anjo. Linda Sofia, nossa guerreira que lutou até o fim vá em paz”, comentou uma delas.
No dia do falecimento, o nome da menina foi também um dos assuntos mais comentados do Twitter e do Instagram. “Anjos não morrem, voltam para casa. A Sophia foi um anjo que Deus enviou para ensinar a milhões de pessoas muitas coisas boas. E anjos são assim, vêm, cumprem sua missão e voltam”, disse outra internauta.
A luta dos pais pela vida da criança foi elogiada pelos seguidores que acompanharam o caso de Sofia. “Obrigado, papais… Vocês nunca desistiram! Fizeram de tudo e por tudo. Essa princesa estará sempre em nossos corações”, disse um seguidor da página.

Cotidianum

...

Vamos Bater um Papo?