Prefeitura dá início à integração inédita de Saúde no município

Prefeitura dá início à integração inédita de Saúde no município
Foto: Prefeitura de Franco da Rocha
Publicado por Redação Franco Notícias no dia 08/02/2015 em Franco da Rocha

O prefeito de Franco da Rocha e o diretor-presidente do Instituto Acqua, Ronaldo Querodia, deram início na segunda-feira (26/1) à integração dos profissionais que atenderão à população privada de liberdade de cinco penitenciárias instaladas no município. O projeto faz parte de uma reorganização da atenção básica do município. O Governo do Estado também integra a parceria. Ao todo serão cerca de 8,2 mil pessoas atendidas. Nesta semana foi dado início à integração dos colaboradores. O atendimento que será feito por médicos, dentistas, enfermeiros e auxiliares de enfermagem já foi iniciado nesta semana.

O contrato prevê a criação de dez equipes de saúde, sendo duas para cada unidade prisional. Cada equipe terá um médico, um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e um cirurgião dentista. entre outras demandas.

Durante a abertura da semana de integração, o prefeito Kiko disse que a parceria entre Prefeitura, Instituto Acqua e Governo do Estado, será exemplo para vários municípios. “Esta parceria atenderá uma população de quase 10 mil pessoas e faz parte de um trabalho de reorganização da atenção básica do município. Com esse atendimento, as pessoas privadas de liberdade deixarão de utilizar nossa rede e com isso podemos dar ainda mais qualidade à nossa população”.

O diretor-presidente do Instituto Acqua afirmou que é importante para a instituição colaborar com o município nessa reorganização do sistema de saúde da cidade. “Com essa parceria estamos garantindo o direito desses cidadãos de ter acesso a atendimentos de saúde e, consequentemente, para o Acqua é um privilégio poder expandir sua área de atuação com mais essa diminuindo remoções e atendimentos hoje feitos na rede básica do município”.

A população privada de liberdade será atendida dentro das unidades prisionais. Estas ações oferecem vantagens, pois o indivíduo privado de liberdade será acompanhado continuadamente, e com um acompanhamento os casos não urgentes diminuirão, as unidades prisionais evitarão o deslocamento, que geram custos e riscos, e a população ficará menos exposta quanto à segurança. Atendendo a um antigo pedido dos usuários da UPA (Unidade de Pronto Atendimento), de quando uma pessoa privada de liberdade chega para atendimento e acaba tendo prioridade por questão de segurança, causando insatisfação aos demais usuários que já estão esperando o atendimento. A partir de agora, essa situação vai diminuir e muito.

Deixe seu comentário:

+ Bem Estar

Tags:, , , ,