Bem Estar
4 anos atrás

Zika é identificado em saliva e em urina; Fiocruz pede mais cuidados

Zika é identificado em saliva e em urina; Fiocruz pede mais cuidados

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou hoje (5) ter comprovado a presença do vírus Zika, com potencial de provocar infecção, em amostras de saliva e de urina e recomendou uma série de medidas cautelares para grávidas.

De acordo com o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, a inédita constatação não indicou ainda como ocorre a transmissão por meio desse fluidos, tampouco se o vírus encontrado nessas condições consegue ultrapassar a placenta e chegar aos fetos.

A grande preocupação é que o aumento de casos de microcefalia em bebês possa estar associado à Zika, com potencial de causar malformação no cérebro de bebês e doenças cognitivas.

Mesmo não comprovada a transmissão por fluidos, as recomendações da Fiocruz são as mesmas de outras doenças transmissíveis pela saliva e devem ser seguidas à risca por mulheres grávidas.

“[Recomendamos às gestantes evitar] o compartilhamento de copos, talheres. Na possibilidade de estar em contato com alguém que possa estar com a infecção, não beijar. [Evitar] aglomerações, com pessoas se esbarrando e com a possibilidade de a gestante entrar em contato com a saliva [de outras pessoas]”, disse Gadelha. “Não podemos afirmar, hoje, que não há possibilidade de transmissão [pela saliva e pela urina]. Então, tem que ter cautela adicional.”

Às vésperas do carnaval, as orientações para os demais foliões são mais brandas, já que geralmente os sintamos da Zika são considerados leves e não causam complicações de saúde. ” O risco está aumentado, mas não temos de evitar o beijo como medida de saúde pública. Pelo amor de Deus, podem beijar”, afirmou Gadelha.

Os cientistas da Fiocruz disseram que as pesquisas para detalhar a transmissão da Zika por saliva e urina estão em curso, mas não há um prazo para serem concluídas.

Segundo eles, até agora a melhor forma de combater e prevenir a doença é a destruição de criadouros do mosquito Aedes aegypiti, único com capacidade comprovada de passar o vírus. O mosquito normalmente é encontrado em recipientes com água parada.

Fiocruz confirma presença do vírus zika em amostras de saliva e urina

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) acaba de divulgar que constatou a presença do vírus Zika, com potencial de provocar infecção, em amostras de saliva e de urina. Segundo a entidade, agora, essas novas formas de transmissão serão mais estudadas.

“Essa comprovação tem um significado muito grande porque, até então, todas as evidências não significavam capacidade de infecção, muda o patamar e a forma que fazemos a pesquisa”, disse o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha.

Em entrevista à imprensa, a Fiocruz disse que a evidência de transmissão pelas excreções “sugere a necessidade de investigar a relevância de transmissão via oral”.

Até então, a única via de transmissão do vírus, confirmada por autoridades sanitárias, é pela picada do mosquito Aedes aegypti.

Zika: relato de transmissão sexual nos EUA é preocupante, diz OMS

O porta-voz da Organização Mundial da Saúde, Gregory Hartl, afirmou nesta quarta-feira (3) que o relato de um caso nos Estados Unidos onde o vírus zika teria sido transmitido sexualmente “levanta preocupações”.

Ele disse que a agência está “trabalhando na organização de projetos de pesquisa para entender como e em que condições o vírus pode ser transmitido”.

No entanto, Hartl declarou que “99% dos casos ou mais são transmitidos pelo mosquito, portanto, o mais importante para as pessoas é se protegerem contra as picadas”.

Ele afirmou que a proteção começa com “autoridades nacionais fazendo bons programas de controle”. Além disso, o porta-voz mencionou diversas medidas que uma pessoa pode tomar, citando o uso de roupas adequadas, repelente e mosquiteiros, entre outros.

Microcefalia

Falando a jornalistas em Genebra, Gregory Hartl lembrou que o “mais importante para a agência são casos de microcefalia” e ressaltou “grande preocupação” da OMS com tais casos e como eles ocorrem, o que está sendo investigado.

Ele disse que “ainda não se sabe se o zika causa esta condição neurológica”.

Segundo o porta-voz, o “zika, em si, não é a razão pela qual a OMS declarou uma emergência de saúde pública, mas sim a microcefalia”.

Sem Sintomas

Ele ressaltou que o zika é uma doença onde três quartos dos infectados “nem apresentam sintomas” e no restante os “sintomas são leves”.

Nesta quarta-feira, a agência da ONU informou que 32 países relataram a transmissão com o vírus desde 2015, a grande maioria na região das Américas, incluindo o Brasil.

Com informações da Agência brasil.

Franco Notícias

O Franco Notícias é seu jornal online de Franco da Rocha, Caieiras, Francisco Morato, mairiporã, Jundiaí e região, além de conteúdos de saúde, economia, educação, esportes e entretenimento.

Vamos Bater um Papo?